Mudanças na alimentação podem reduzir sintomas da síndrome do intestino irritável
Facebook

Mudanças na alimentação podem reduzir sintomas da síndrome do intestino irritável

Texto de introdução
Dor na barriga, gases, diarreia e constipação são alguns dos sintomas da síndrome do intestino irritável (SII), um distúrbio intestinal crônico que pode ser bem incômodo se não for cuidado. Ainda não se sabe ao certo o que provoca a síndrome, visto que ela não apresenta causas anatômicas nem lesões no intestino, mas os sintomas podem ser administrados, proporcionando uma vida normal a quem possui o problema.

Para tanto, é importante adotar um estilo de vida saudável, com a prática regular de atividade físicas e diminuição do estresse. Em alguns casos, recomenda-se também o uso de medicação e até terapia.

A dieta também desempenha um papel fundamental na redução dos sintomas da síndrome do intestino irritável. Uma pesquisa, por exemplo, realizada pela Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) e publicada no periódico Nutrire, em junho deste ano, revelou que pacientes com SII que evitam certos tipos de carboidratos podem melhorar drasticamente os sintomas do distúrbio. O estudo se refere aos carboidratos que não são digeridos pelo trato digestivo e costumam causar desconfortos intestinais – daí porque devem ser evitados. Classificados como oligossacarídeos fermentáveis, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis, esses alimentos são chamados de Fodmaps. Entram nessa categoria frutas como maçã e melancia, vegetais como milho, cebola e ervilha, e outros alimentos como feijão e mel.   

Os Fodmaps são carboidratos de cadeia curta mal absorvidos pelo nosso organismo devido ao seu pequeno tamanho, alta absorção de água e velocidade com que são fermentados pela microbiota (bactérias que vivem em nosso intestino). Esses alimentos podem causar em certas pessoas dor abdominal, diarreia e/ou constipação e inchaço. Em sua primeira fase, o estudo feito pela USP fez com que voluntários portadores de SII se alimentassem desses carboidratos associados à indução de sintomas. Com a avaliação das condições de melhora, os alimentos eram eliminados ou reduzidos. Na segunda fase, os grupos de alimentos eliminados foram gradualmente reintroduzidos de acordo com os sintomas apresentados.

Os resultados mostraram que uma dieta com pouca ingestão de Fodmaps pode levar a uma melhora significativa dos sintomas em pacientes com  síndrome do intestino irritável. No entanto, algumas deficiências nutricionais podem ocorrer, se não houver orientação nutricional adequada, destacando a necessidade de um planejamento alimentar correto orientado por um nutricionista.

Probióticos também podem reduzir sintomas da síndrome do intestino irritável

Outros estudos também mostraram que a ingestão de probióticos pode melhorar a qualidade de vida de pessoas com SII. Um deles, publicado no periódico Nature Reviews Gastroenterology & Hepatology, em 2010, concluiu que pacientes tratados com certos tipos de probióticos tiveram menos dor abdominal e inchaço e ausência de alterações na consistência das fezes. Os cientistas afirmam que há cada vez mais evidências que apoiam o uso de determinadas cepas de probióticos na prevenção e tratamento de doenças do trato digestivo, como a SII. Lembrando que os probióticos são micro-organismos vivos que favorecem o equilíbrio da microbiota e podem trazer benefícios à saúde, principalmente, relacionados ao sistema digestivo, se ingeridos regularmente e em quantidades adequadas.


Referências:

https://nutrirejournal.biomedcentral.com/articles/10.1186/s41110-018-0076-z

https://www.nature.com/articles/nrgastro.2010.117
--