4 hábitos a evitar para ter uma boa digestão

Sintomas relacionados à má digestão, como a sensação de estômago cheio, azia, queimação e refluxo, costumam incomodar muita gente. Foi o que constatou levantamento inédito da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), que revelou que quase metade dos brasileiros sente algum desses desconfortos. O estudo foi apresentado durante a XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD), em junho deste ano, em São Paulo. 

Relacionado a uma alimentação inadequada e até ao estresse, a má digestão pode desaparecer, se alguns comportamentos forem evitados. Veja a seguir quatro deles que podem ajudar a reduzir o problema.

1. Evite excesso de guloseimas, comidas gordurosas e alimentos que causam gases 
Frituras, carnes gordas e alimentos com muito tempero "pesam" no estômago quando consumidos em excesso. Da mesma forma, alguns alimentos processados, como bolachas, refrigerante e doces, costumam ter muita gordura, que podem causar lentidão do trato digestivo. Além disso, algumas leguminosas, como ervilhas, feijão e grão-de-bico, apesar de serem nutritivas, também devem ser ingeridas com cuidado, já que podem causar gases ao fermentar no organismo. A farinha branca, presente em pães, biscoitos e massas, é outro ingrediente que pode provocar lentidão no trato digestivo. Nesses casos, moderação nas quantidades é sempre bem-vinda.

2. Não exagere na hidratação durante as refeições
Não há estudos que comprovem uma relação direta entre a ingestão de bebidas durante as refeições e a má digestão, afinal, o estômago tem capacidade de deixar a água passar e depois focar na digestão dos sólidos. Mas é importante manter equilíbrio para não forçar demais o estômago e evitar quadros de refluxo. No geral, é recomendado beber, no máximo, 200 ml de líquidos (um copo) ao comer. 

3. Coma devagar
Ao ingerir os alimentos sem mastigar direito, o sistema digestivo demora mais para "quebrar" a comida. É preciso mastigar bem, triturar os alimentos e deixar a saliva facilitar a quebra para que o alimento chegue pré-digerido no estômago, auxiliando a digestão. 

4. Fuja do estresse e da ansiedade
O estresse e a ansiedade podem gerar desequilíbrio das funções do cérebro, o que interfere em reações físicas do organismo comandadas por ele, incluindo a digestão. Se você se alimenta quando está muito estressado, há uma diminuição da irrigação sanguínea no trato digestivo, ou seja, mais demorada será a absorção do que você comeu.

Referência

Prevalência do refluxo gastresofágico no Brasil – Federação Brasileira de Gastroenterologia (FGB) – 06/2018 – Estudo apresentado durante a XVII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo (SBAD), em São Paulo.

Você também pode gostar