Iogurte com probióticos podem deixar você mais calmo; saiba por quê
Facebook

Iogurte com probióticos podem deixar você mais calmo; saiba por quê

Texto de introdução
Estudos têm mostrado que o consumo regular de iogurte com probióticos pode nos deixar mais calmos, ao favorecer a redução de comportamentos de estresse e ansiedade.

Uma dessas pesquisas foi realizada na Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, em 2013. Foram feitos testes com 36 mulheres saudáveis sem sintomas gastrointestinais ou psiquiátricos. Elas foram aleatoriamente designadas para grupos que deviam consumir um produto lácteo fermentado e probiótico, um produto lácteo não fermentado ou nenhuma intervenção, duas vezes ao dia durante quatro semanas.

Os resultados revelaram que o consumo de leite fermentado com probióticos reduziu a atividade cerebral em áreas que lidavam com o estresse, comparado com quem não consumiu o produto. 

O leite fermentado usado na pesquisa continha probióticos do tipo Bifidobacterium animalis, Streptococcus thermophiles, Lactobacillus bulgaricus e Lactococcus lactis. Os participantes foram submetidos a uma ressonância magnética antes e após a intervenção, para medir a resposta do cérebro a certos estímulos. “A ingestão, durante quatro semanas, de leite fermentado com probióticos, por mulheres saudáveis, afetou a atividade das regiões do cérebro que controlam o processamento central da emoção e da sensação”, afirma o estudo.

À primeira vista, pode parecer estranho haver relação entre um alimento e um estado de ânimo, mas pesquisas mostram que isso tem a ver com a ligação do intestino com o cérebro, ou o chamado eixo cérebro-intestino. Sabe-se que há uma comunicação entre o trato gastrointestinal e o sistema nervoso central por vias bidirecionais, de origem hormonal, nervosa e imunológica.

É bem possível, portanto, que o equilíbrio da microbiota (também chamada de flora intestinal), possa favorecer o intestino e, consequentemente, o cérebro, por meio das ligações existentes entre ambos. Nesse sentido, os probióticos têm papel importante, já que eles estimulam o aumento das bactérias ‘do bem’ na microbiota, e combatem aquelas ‘do mal’, que podem causar enfermidades. Lembrando que os probióticos são micro-organismos vivos que quando consumidos regularmente e em quantidades adequadas oferecem diversos benefícios à saúde. 

A interação entre o sistema digestório e o encéfalo não é recente. Emoções extremas podem causar o famoso “frio na barriga” e provocar até diarreias e/ou vômitos, afirma uma revisão de literatura feita na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e na University College Cork, na Irlanda, em 2017. Foram analisados artigos científicos publicados nos últimos 30 anos, relacionados ao envolvimento da flora intestinal na modulação de doenças psiquiátricas. 

“Estudos pré-clínicos em animais, onde a flora intestinal é alterada, sugerem que as bactérias intestinais regulam vários genes e neurotransmissores envolvidos na modulação de doenças psiquiátricas, como a ansiedade, depressão e o autismo. Desta forma, o conceito de eixo encéfalo-intestinal sugere que a modulação da flora intestinal pode ser uma importante estratégia para o desenvolvimento de novas formas de prevenção e tratamento de doenças do Sistema Nervoso Central”, relatam os pesquisadores.

Embora sejam necessárias mais evidências para aprofundar tais temas, não há dúvidas de que manter a microbiota em harmonia faz bem à saúde – e, nesse caso, os iogurtes com probióticos podem ser um bom aliado. Fica a dica! 

Fonte:
https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3839572/
https://periodicos.furg.br/vittalle/article/viewFile/6413/4741