Intolerância à lactose, entenda o problema e conheça alimentos substitutos
Facebook

Intolerância à lactose, entenda o problema e conheça alimentos substitutos

Texto de introdução
Dores abdominais, excesso de gases, barriga inchada, cólica e náusea – esses podem ser alguns dos sintomas comuns a quem tem intolerância à lactose. Mas dores de cabeça e vertigens, perda de concentração e cansaço também podem surgir. “A intensidade dos sintomas varia, dependendo da quantidade de lactose ingerida, e aumenta com o passar da idade”, explica o estudo Intolerância à lactose: mudança de paradigmas com a biologia molecular, do Departamento de Gastroenterologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

O problema consiste na dificuldade em digerir o açúcar existente no leite e seus derivados e atinge cerca de 35% da população acima de 16 anos. O dado é da pesquisa Conhecimento sobre a intolerância à lactose na população brasileira, de julho de 2016, do Instituto Datafolha.

A intolerância acontece porque o organismo não produz ou produz em pequena quantidade uma enzima digestiva chamada lactase, responsável por quebrar a lactose. Sem a ação dessa enzima, a lactose não é digerida pelo organismo e acaba chegando intacta ao intestino. Ali, pode promover o acúmulo de água e ser fermentada pelas bactérias, produzindo gases e ácido lático, o que ocasiona o aparecimento dos desconfortos. 

“Indivíduos com intolerância à lactose têm deficiência na absorção deste açúcar, tendo como consequência o acúmulo do mesmo, acarretando em um aumento local de água, fezes amolecidas, aceleração do trânsito intestinal,evacuações, inchaço e dores abdominais dentre outros sintomas”, afirma a pesquisa Fatores desencadeantes da intolerância à lactose: metabolismo enzimático, diagnóstico e tratamento, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Os sintomas costumam surgir entre 30 minutos e duas horas depois da ingestão de alimentos ou bebidas que possuam leite em sua composição, mas como já foi dito, variam de pessoa para pessoa e segundo a quantidade consumida.

Veja a seguir as causas mais comuns da intolerância à lactose. 

Primária
Conforme a criança vai crescendo e variando a dieta, diminuindo, portanto, a quantidade de leite ingerido, há uma redução natural na produção de lactase pelo organismo, que pode levar a um quadro de intolerância. Essa é a forma mais comum do problema.

Secundária
Se caracteriza pela não produção da lactase por causa de doenças intestinais como diarreias, Síndrome do Intestino Irritável, doença de Crohn, doença celíaca ou alergia à proteína do leite. 

Congênita
Ocorre quando, por alguma alteração genética, o bebê nasce sem condição de produzir a lactase, apresentando a intolerância à lactose desde cedo. É uma condição rara.

Como identificar e tratar a intolerância
O diagnóstico da intolerância à lactose é confirmado por meio de avaliação médica e exames específicos. Mas a condição pode ser controlada com dieta de restrição ou redução de lactose e, em alguns casos, medicamentos, conforme orientação médica, permitindo uma vida normal a seus pacientes. 

No caso de dietas restritivas, é importante que o médico ou o nutricionista indique como repor nutrientes como cálcio, fósforo e vitaminas presentes no leite e seus derivados, que são essenciais à formação óssea . A ingestão diária de cálcio recomendada, por exemplo, é de 1.000 mg/dia – de 3 a 4 copos de leite – para adultos, segundo o guia americano de referência para cálcio e vitamina D, da National Academies Press. 

Felizmente, já existem no mercado diversas opções de leites e derivados sem lactose e, em algumas versões, com cálcio, além de outros alimentos substitutos, que podem ser consumidos nas dietas restritivas. O nutricionista deverá indicar quais são os alimentos mais adequados conforme características individuais e estilo de vida de cada um. Veja a seguir algumas opções de alimentos sem lactose.

Iogurtes
Versões de iogurtes sem lactose  podem fazer parte das dietas de restrição a esse açúcar. Além disso, esses iogurtes são normalmente FONTE DE CÁLCIO, , nutriente necessário para uma boa saúde.

Leite
Assim como os iogurtes, há várias opções de leite de vaca sem lactose. Há também bebidas a base de amêndoas, de arroz e de soja.

Queijos
Alguns supermercados e lojas de alimentos naturais vendem queijos feitos de arroz, de soja, também conhecido como tofu, e de amêndoas. 

Manteiga
As margarinas vegetais e a manteiga Ghee, de origem indiana, são encontradas com facilidade nos supermercados.

Atenção - Ao adquirir um produto sem lactose, leia o rótulo para se certificar da ausência do açúcar do leite no mesmo.

Reintrodução
Em geral, após exclusão inicial da lactose e remissão dos sintomas, os especialistas recomendam que ela seja reintroduzida gradualmente até a quantidade máxima suportada sem que os sintomas adversos se manifestem.
Com orientação profissional adequada e uma dieta correta, fica mais fácil lidar com o distúrbio e seguir a vida normalmente. Portanto, bola pra frente!

Referências

Intolerância à lactose: mudança de paradigmas com a biologia molecular – Revista da Associação Médica Brasileira, 2010.
http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302010000200025

Fatores desencadeantes da intolerância à lactose: metabolismo enzimático, diagnóstico e tratamento - Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP/Escola Paulista de Medicina São Paulo, 2017.
www.revistaseletronicas.fmu.br/index.php/ACIS/article/download/1349/1109