Branco
aroma natural no iogurte
Facebook

Aromas naturais ou sintéticos? Entenda a diferença entre eles nos iogurtes.

Texto de introdução
Os aromatizantes servem para reforçar o aroma e o sabor dos iogurtes e dividem-se em naturais e sintéticos

Antes de saber a diferença entre os tipos de aromas, é preciso entender resumidamente qual é o processo produtivo de um iogurte.

O início da produção começa com a coleta e pasteurização do leite. Depois são acrescentados os fermentos e os probióticos. Em seguida, podem ser adicionados  frutas e cereais, de acordo com a necessidade. 

Com o objetivo de deixar o iogurte mais saboroso, além das frutas podem ser adicionados também aromas, ingredientes que ajudam a ressaltar os sabores dessas frutas.

Os aromatizantes podem ser classificados entre naturais e artificias. Os artificiais se dividem entre idênticos ao natural e sintéticos. Apesar dessa classificação, todos são seguros para consumo humano.

Aromas naturais

Os aromatizantes naturais são obtidos a partir de matérias-primas naturais, conforme explica documento sobre o assunto da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Este tipo de aroma é o mais natural existente no mercado, mas também o mais caro de se obter.

Aromas idênticos aos naturais

Os aromas idênticos aos naturais conferem exatamente o mesmo sabor da fruta em questão, por exemplo o morango. São moléculas criadas e desenvolvidas para replicar, de forma idêntica, a matéria prima original.

Aromas artificiais

Os aromas artificiais, por sua vez, são desenvolvidos por processos e não usam como base a matéria prima original, como por exemplo o morango. Este tipo de aroma é geralmente utilizado por suas propriedades aromáticas, que são diferentes da versão encontrado na natureza.

Aromas naturais x sintéticos

As moléculas sintéticas possuem propriedades físicas, químicas e funcionais idênticas às naturais. “Do ponto de vista químico e metabólico, elas são uma coisa só”, explica a professora Sandra Helena da Cruz, do Departamento de Agroindústria, Alimentos e Nutrição da Universidade de São Paulo (USP). Ela diz que não existem inconvenientes na utilização de moléculas sintéticas de estrutura idêntica às naturais, desde que seu grau de pureza e nível de consumo sejam adequados.

Antes de serem liberadas para consumo, a Anvisa exige uma análise dos possíveis efeitos tóxicos dessas substâncias para o organismo e o seu emprego somente é autorizado em concentrações que não ultrapassem o valor de ingestão diária aceitável, que é recomendado.

Aromatizantes, assim como conservantes, espessantes e estabilizantes são alguns dos aditivos que podem ser utilizados em alimentos, com objetivo de melhorar suas características. 

Aromas nos iogurtes Activia

Os iogurtes Activia, da Danone, têm aromas naturais e idênticos aos naturais. Os shots diários de probióticos, por exemplo, vêm nos sabores framboesa e hibisco, tangerina e cenoura, e tradicional. 

Agora que você já sabe as diferenças entre os tipos de aromas, fique atento aos rótulos.

Referências:

Regulamento técnico sobre aditivos aromatizantes - Anvisa
http://portal.anvisa.gov.br/documents/33916/391619/Anexo%2BRDC%2B2.pdf/84947fce-1b8f-4a2c-978e-2e23cf67f1a3


Cor, aromas e sabor em alimentos - USP
https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/3401608/mod_resource/content/1/Aditivos%20em%20alimentos%202017.pdf